sábado, 24 de maio de 2014

PSICOPOEMA




PSICOPOEMA
___Raykorthizo Perez.

Aos quinze anos tinha idade
que terei aos 60 ou 70.
Chamei a atenção do veneno
dos poetizadores.

Era de forma aguda e súbita
com excitação intensa
sem falar em depressão,
mas, e a hostilidade à família?

Às vezes imaginava-me
numa pequena fábula
do Herrmann Hesse
ou o Cesco - (pequeno francesinho),
mas,
quem sou, era ou serei para ser
ao menos as vestes esfarrapadas
do Il Poverello?

Il Mondo tremia-me n'alma,
mas, sem pesar apesar dos cem mares
non sou digno di te, mas, ó mestre,
non ti scordar di me.

As reações eram lentas e ou prolongadas,
e então grito e aldabro aos ventos
com sete chaves:
                             Humor retraído?
                              Amor traído?
                               Vinculação afetiva -
relação difícil?

Pós-64:
              Extrovertido cultural,
               introvertido
               ou controvertido social?!

O mundo real era o imaginário
e o imaginário era o real
(com todas as realidades do tempo
que é um parto difícil,
mas que não aborta nunca!)

(Qualquer coisa), tradução do russo
"chto-nibud", porque tudo
era incoerente ou ainda
sem lógica,
                    sem o neologismo,
só que com um porém, o arabesco,
sem metáforas,
metáforas me torram e muito,
sem o tradicional
simbolismo - simbolismo é intolerável!
Follie à deux, que quer dizer
alienação mental pelas duas coisas
ao mesmo tempo, e é o termo
próprio e designativo dos doutores doidos.

Said it only in fun, without rhyme
or reason,
mas, voltemos porque na baixada
fluminense,
diz "O Globo" do suicídio.
                                              Será que
foi realmente suicídio?
Realmente foi, também pudera
quem tolera tanta poeira da boiada.

Ele era operário da indústria
bélica que se chama palavra,
mas o DÓI não teve dó,
sem saber cantar cantava
como Victor Jara
e teve o mesmo destino...
Seus nomes para sempre estão
gravados no panteão da história
e o perpassar do viandante
não consumirá, portanto,
salve-salve, salve Lennon,
mas recomecemos:
Não se fala em 15, 60 ou 70 anos,
porque o homem tem a idade dos seus
próprios sofrimentos,
portanto:
                 Fallie à Famillie:
Shut up!
To put one's finger on the ailling?
É o cost price,
that is between ourseleves.
1SIMPLY THE THING I AN SHALL MAKE ME LIVE"
Não meu amigo, King Lear:
                                                  Preciso viver
para ser o que serei,
não basta-me o que sou...

Tudo parece-me tão difícil,
                                                 e como o
valente toureiro espanhol Manolete,
varo a semana na batalha árdua,
e no final preencho-a
com a responsabilidade dos meus 26 anos,
por que sou maior de 18 amores, amando 24 horas
por segundo, e um dia
acrescentarei mais uma hora para amar ainda mais
a princesa do universo - meu anjo loiro,
filha do "Grande Arquiteto".

Kaufman nem poria as mãos em mim?
ignoto deo - god is malicius,
acreditem ou não!
                                 Eisteins de tão
louco que era - não era!
Porque a razão fundamental é ser louco,
tanto que, não ser louco,
seria loucura de outra espécie.

O louco - Eisteins, desafiou Deus,
desafiando-se durante meio século,
querendo expressar a ação do Fogo Eterno
no universo,
que é extremamente simples,
mas terrivelmente complexa.
Sim... O Senhor do Infinito
roubou do gênio 50 preciosos
aninhos para dar a ele a célebre
forma, que contém apenas
estas letras:
                     E=m.c2.

Não digas nada senhor aristocrata,
porque se dissesse, sei que
diria:
           É MERA COISA DE POETA!
E eis que então antes que chegue,
chega,
porque gosto de brincar:
God Is Malicius,
portanto, assumo a responsabilidade
dos meus 26 anos na árdua batalha
na arte de sobreviver,
porque também como a maioria eu vivo sobre...
Portanto, Salve a poesia, o poeta
e a mulher bonita,
e agora eu digo e não volto atrás:
Não tenho 26 anos, eu tenho a idade
dos meus próprios sofrimentos:
Bictori Nain Pace Etin.



Grato pela sua visita. Ela é de fundamental importância. Deixe o seu comentário. Siga o blog.